Informações Uteis

Dicas sobre como utilizar os compressores de ar comprimido

Saiba algumas dicas de como utilizar os compressores de ar comprimido.

Informações úteis sobre troca de óleo, consumo excessivo de óleo, vazamento, superaquecimento.

É muito comum que um compressor novo ou reformado,

devido ao perfeito assentamento dos aneis, consuma uma

 quantidade superior de óleo nas primeiras 200 horas de trabalho.

Por esse motivo, aconselhamos que seja efetuada a

troca de óleo da seguinte forma:

Troca de óleo:

Primeira troca: nas primeiras 20 horas de uso

Segunda troca: 40 horas de serviço após primeira troca (regime contínuo)

Terceira troca: após 100 horas de uso ( um mês mais ou menos)

Quarta troca: a cada 200 horas de uso (a cada dois meses)

O consumo excessivo de óleo geralmente ocorre devido:

Elemento do filtro de ar obstruido óleo incorreto (baixa viscosidade)

Volume de óleo no carter acima do nível

Vazamentos

É muito comum recebermos reclamações de clientes que alegam

que o equipamento não atinge a pressão desejada ou

liga muitas vezes durante o dia, ás vezes mesmo, sem uso.

Aconselhamos verificar vazamentos na rede de ar ou redimensionar

compressor, pois a maioria das vezes o problema está no

consumo do ar que é maior que a produção de ar do compressor.

Superaquecimento:

Equipamento operando em local sem ventilação;

Polia motora ou motor fora do especificado;

Baixo nivel de óleo ou óleo não especificado;

Sentido de rotação do volante incorreto;

Acúmulo de poeira sobre o compressor;

Vazamento de ar ou consumo maior que a capacidade do compressor;

Rede elétrica (instalação em desacordo com normas -motor elétrico).

 

01: Recomenda-se ao cliente a leitura do manual do usuário e

observar os cuidados básicos de manutenção preventiva

 

02: As recomendações de manutenção básica estão impressas no adesivo do produto.

 

03: Guarde sempre o prontuário de teste hidrostático do reservatório.

 

04: No caso de substituição de um compressor em uso, por outro de maior

rendimento volumétrico ou de maior pressão,verifique se a rede de ar atual

 É compatível com o novo produto.

 

05: Em qualquer tipo de aplicação, prefira sempre equipamentos

com motores de acionamento trifásico.

 

06:Em ferramentas ou máquinas pneumáticas com pressão de trabalho

acima de 80 lbf/pol², sempre indicar compressor de 1 estágio 100 a 140 psig ou

2 estágios 135 a 175 psig.

 

07: O dimensionamento ideal para um compressor de pistão é que o

volume de ar produzido fique em até   20% acima do consumo.

 

08: O acúmulo de água no reservatório é relativo à umidade do ar

E não depende do compressor.

 

09: Drenar regularmente o reservatório de acordo com a frequência de uso.

 

10: A forma mais eficiente de drenagem do reservatório é com o uso de dreno automático.

 

11: Para dimensionamento e instalação de redes consulte profissionais experientes.

 

12: A perda de pressão tolerável numa rede de ar comprimido é de até 10%.

 

13: O local de instalação do compressor deverá ser ventilado e livre de poeiras ou névoas.

 

14: O compressor deverá estar sempre nivelado para não comprometer sua lubrificação.

 

15: Nunca ligar o compressor direto à rede elétrica.

Usar sempre fiação adequada e chave de partida com

proteção de acordo com a corrente e potência do motor

 

16: Recomenda se a instalação de um compressor por um profissional qualificado

 

17: A durabilidade e eficiência dos compressores dependem da correta limpeza e

Troca do filtro, da troca de óleo regularmente e drenagem do reservatório

 

18: Qualquer ajuste do compressor somente poderá ser feito

Por uma assistência técnica

 

19: Toda rede de ar, mesmo não precisando de tratamento, precisa de

Purgadores de condensado.

 

Outra

Instalações elétricas

 Faça periodicamente um exame completo

na instalação elétrica, verificando o estado

de conservação e limpeza de todos os

componentes. Substitua peças defeituosas

ou em más condições e verifique o

funcionamento dos circuitos.

■ Utilize sempre materiais de boa qualidade.

■ Acréscimos de carga (instalação de novos

equipamentos elétricos) podem causar

aquecimento excessivo dos fios

condutores e maior consumo de energia,

resultando em curtos-circuitos e incêndios.

Certifique-se de que os cabos e todos

os componentes do circuito suportem a

nova carga.

■ Incêndios em aparelhos elétricos

energizados ou em líquidos inflamáveis

(óleos, graxas, vernizes, gases) devem

ser combatidos com extintores de CO2

(gás carbônico) ou pó químico.

■ Incêndios em materiais de fácil

combustão, como madeira, pano, papel,

lixo, devem ser combatidos com extintores

de água.

■ Em ligações bifásicas, o desequilíbrio de

fase pode causar queima de fusíveis,

aquecimento de fios ou mau funcionamento

dos equipamentos. Corrija o desequilíbrio

transferindo alguns aparelhos da fase

mais carregada para a menos carregada

(ver item 4.2.5.6 da norma NBR5410).

■ As emendas de fios devem ser bem feitas,

para evitar que se aqueçam ou se soltem.

Depois de emendá-los, proteja-os com fi ta

isolante própria para fios.

■ Evite condutores de má qualidade,

pois eles prejudicam a passagem da

corrente elétrica, superaquecem e

provocam o envelhecimento acelerado da

isolação.

1/7

1

■ Confira, na placa de identificação do

aparelho ou no manual de instrução

a tensão e a potência dos

eletrodomésticos a serem instalados.

Quanto maior a potência do

eletrodoméstico, maior o consumo de

energia.

■ Fusíveis são dispositivos de proteção

contra sobrecarga ou curto-circuito na

instalação elétrica. Quando um fusível

derreter ou fundir, desligue a chave e

troque-o por um novo, de igual

amperagem.

■ Não substitua fusíveis por moedas,

arames, fi os de cobre ou qualquer outro

objeto inadequado. Isso elimina o principal

dispositivo de segurança contra a queima

de equipamentos e lâmpadas.

■ É recomendada a troca de fusíveis por

disjuntores termomagnéticos, que são

mais seguros e não precisam de

substituição em caso de anormalidade no

circuito.

■ Não instale interruptor, fusível ou qualquer

outro dispositivo no fio neutro.

■ A fuga de corrente é semelhante a um

vazamento de água: paga-se por uma

energia desperdiçada. Ela pode acontecer

por causa de emendas malfeitas, fios

desencapados ou devido à isolação

desgastada,aparelhos defeituosos e

consertos improvisados.

Utilize interruptores diferenciais residuais

(DR) para evitar este tipo de problema.

 

 

Para maiores informações, consulte a

norma NR 10 (Segurança em instalações

e serviços em eletricidade).

 

Ou um de nossos Eletricistas

Tel. 11-2241-5287 Plantão Cel. Vivo 97290-2249

 

Site www.nacyfort.webnode.pt